terça-feira, 20 de novembro de 2007

Denodo

Há uns dias recebi uma mensagem que dizia que o tempo, entre muitas outras coisas, nos faz perceber o quão parecidos somos, afinal, aos nossos progenitores.

Da minha mãe herdei, sem dúvida, o gosto pela leitura, o amor aos livros, o respeito pelas palavras, pela gramática, pelo bem falar e bem escrever (bendita virtude que foi nascendo quando ela me lia poemas do Gedeão e do Rei que tinha mundos e fundos mas não tinha um fecho ecclair).

"Do teu pai, herdaste o denodo" - dizia-me ela ontem. Lá fui ao dicionário para colmatar a santa ignorância.

Denodo: s.m. valentia, valor, coragem, intrepidez, audácia, desembaraço.

Os genes paternos poderão ter contribuído, mas, mãezocas, o meu denodo também é teu - não duvides!

2 comentários:

Leocardo na Taipa disse...

Bom post!
www.leocardonataipa.blogspot.com

Bzz disse...

"Muchas gracias" - isto é o gene da minha avó espanhola a fazer das suas...;-)